Últimas notícias de economia, política, carros, emprego, educação, ciência, saúde, cultura do Brasil e do mundo. Vídeos dos telejornais da TV Globo e da GloboNews.
Vídeos: MG1 TV Integração Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba de quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. Assista aos vídeos do telejornal com as notícias do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba.
Thu, 21 Nov 2019 18:41:31 -0000
Ex-vereador e ex-secretário de Trânsito comentam oitivas da Operação 'Poderoso Chefão' em Uberlândia
Alexandre Andrade e Willian Alvorada falaram ao MG1 sobre as investigações do Ministério Público Estadual. Desde que o escândalo estourou na cidade, três parlamentares foram presos e afastados; relembre repercussão e as operações. O ex-secretário de Trânsito e Transporte de Uberlândia, Alexandre de Souza Andrade, e o ex-vereador Willian Alvorada, estiveram no Ministério Público Estadual (MPE) na manhã desta quinta-feira (21). Eles participaram de oitivas referentes à Operação "Poderoso Chefão" e, antes de entrarem para serem ouvidos, falaram com a reportagem da TV Integração. Oitivas Além deles, atuais e ex-vereadores, ex-secretários e servidores, além de laranjas, estão na lista dos que têm prestado depoimento aos promotores. Os investigados que foram presos, também, seguem na lista das oitivas. Alvorada e Andrade Ex-vereador e ex-secretário de Trânsito comentam oitivas da Operação 'Poderoso Chefão' Em entrevista ao MG1 (assista acima), Willian Alvorada disse que em oito anos de mandato teria usado a empresa citada no processo poucas vezes, mas que desconhece que ela seja de fachada. "Tomei conhecimento disso agora pela imprensa e pelo Ministério Público. Eu não tinha esse entendimento. Fui citado porque fiz três serviços nessa gráfica sem saber que era tudo que estão dizendo. Está tudo registrado no portal da transparência da Casa", afirmou Alvorada. A empresa a que ele se refere é alvo do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), que apurou que a gráfica recebia aportes de verba indenizatória que voltavam, via laranjas, para vereadores envolvidos no esquema. Além de Juliano Modesto e Alexandre Nogueira (que estão presos), Willian Alvorada e Ismar Prado (PMB) podem estar envolvidos. O Gaeco, inclusive, solicitou documentos das verbas dos quatro na Câmara, na última semana. Ex-secretário Alexandre Andrade também falou com a reportagem na manhã desta quinta-feira (21). No caso dele, como ex-secretário de Trânsito, o tema foi sobre supostas participações em questões relacionadas à CPI das Vans, que também é investigada pelo MPE. "A Secretaria não tinha envolvimento nenhum com o transporte escolar. Isso ficou claro no primeiro momento das investigações e vai ficar claro no segundo. Tem um grande jogo de interesse político nisso tudo e a gente acabou sendo vitima", afirmou. Zago e Bretas Na última segunda-feira (18), os vereadores Adriano Zago (MDB) e Michele Bretas (Avante) procuraram o MPE para serem ouvidos pelo promotor de Justiça Daniel Marotta no caso que envolve a CPI das Vans. Segundo Adriano Zago e Michele Bretas, a decisão de procurar o MPE foi espontânea e teve como motivação o contexto das investigações realizadas pelo Grupo de Ação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) nas operações "Poderoso Chefão" e "Torre de Babel", que envolvem, dentre outros, um esquema de corrupção no transporte escolar do município. O G1 conversou nesta quarta-feira (20) com Zago. Ele contou que o vereador Wilson Pinheiro (PP), que está em prisão domiciliar, contratou irregularmente um escritório de advocacia para acompanhar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Vans, da qual Zago e Bretas eram membros. Conforme o vereador, os dois foram ao MPE justamente contestar a informação de Wilson Pinheiro de que todos os membros foram favoráveis à contratação da empresa à época. “É bom deixar claro que fomos atrás do MP como testemunhas para esclarecimentos de forma espontânea. Quem não deve não teme. Tenho a documentação e provas de que renunciei, com isenção, à condição de membro e não concordei com o contrato, ao contrário do que foi dito”, esclareceu. A CPI foi criada em 2015 para investigar possíveis irregularidades no processo de licitação da empresa que fazia o transporte de alunos da cidade. A intenção era investigar possíveis crimes cometidos neste período. Relatório da CPI das Vans é apresentado na Câmara de Uberlândia Escândalo na Câmara Recentemente, um esquema fraudulento de 2017, que envolvia transporte escolar em Uberlândia, foi alvo de investigação em operações que terminaram na prisão dos vereadores Alexandre Nogueira (PSD) e Juliano Modesto (Solidariedade), além de Wilson Pinheiro (PP). Os três tiveram mandatos suspensos pela Casa. A Câmara virou centro das atenções nas últimas semanas depois das prisões dos parlamentares. O vereador Walquir Amaral tomou posse no lugar de Juliano Modesto e o Gaeco esteve na Casa para pegar documentos. Veja desdobramentos: Com três vereadores presos, Câmara de Uberlândia realiza a primeira sessão de novembro Promotores solicitam à Câmara de Uberlândia documentos de verbas indenizatórias Vereadores investigados pelo Gaeco podem ter pago R$ 500 mil a empresa de fachada Outros dois vereadores de Uberlândia contrataram serviços de empresa de fachada Outros depoimentos No dia 13 de novembro, Wilson Pinheiro e o ex-prefeito Gilmar Machado (PT) foram ouvidos pelo promotor Daniel Marotta sobre as irregularidades verificadas no transporte escolar do Município, que resultaram nas operações "Kms de Vantagens" e "Poderoso Chefão". Além dos citados acima na reportagem, o Ministério Público segue ouvindo outras pessoas envolvidas nas operações. Ainda não há informação de prazo para finalização desta parte das investigações. Entenda a "Poderoso Chefão" Segundo o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), a Operação “Poderoso Chefão” investiga uma organização criminosa que atua no desvio de recursos públicos vindos de contratos de prestação de serviço público municipal de transporte de alunos. Entre os presos estão os vereadores Juliano Modesto (SD), que já estava no Presídio Professor Jacy de Assis, Wilson Pinheiro (PP) e Alexandre Nogueira (PSD). O ex-controlador Geral da Câmara de Uberlândia, Adeilson Barbosa Soares, também foi preso. O Gaeco apura crimes de organização criminosa, peculato e lavagem de dinheiro por dirigentes e empresas com ligação à Cooperativa dos Transportadores de Passageiros e Cargas (Coopass) e à ATP, prestadoras de serviço de transporte escolar à Prefeitura. CPI Segundo investigações, a quadrilha lavava dinheiro por meio de laranjas e diversas empresas que estavam em nomes de dirigentes da Coopass e da ATP. O esquema contemplava falsificação de documentos e adulteração de quilometragem percorrida pelos veículos para que fosse feito o repasse dos valores superfaturados à ATP. Em 2015, a Câmara de Uberlândia chegou a criar uma CPI para apurar as irregularidades constatadas. Na época, a CPI foi presidida pelo vereador Wilson Pinheiro (PP), e Alexandre Nogueira (PSD) era o presidente da Casa.
Thu, 21 Nov 2019 18:40:53 -0000
Vídeos: MG1 TV Integração Centro-Oeste MG e Alto Paranaíba de quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Assista aos vídeos do telejornal com notícias do Centro-Oeste de Minas e Alto Paranaíba. Assista aos vídeos do telejornal com notícias do Centro-Oeste de Minas e Alto Paranaíba.
Thu, 21 Nov 2019 18:39:05 -0000
Senai promove evento gratuito sobre mercado de trabalho na área industrial em sete cidades do Sul do Rio
São palestras, workshops e oficinas gratuitas voltadas aos jovens que estão decidindo qual carreira seguir e também a quem deseja se aperfeiçoar na área. As constantes mudanças no mercado de trabalho e a Indústria 4.0. Estes são os temas de um encontro promovido pela Firjan SENAI nesta quinta e sexta-feira (21 e 22) em todo o país. No Sul e Costa Verde do Rio de Janeiro, o evento acontece em Angra dos Reis, Barra Mansa, Barra do Piraí, Resende, Três Rios, Valença e Volta Redonda. São palestras, workshops e oficinas gratuitas voltadas aos jovens que estão decidindo qual carreira seguir e também a quem deseja se aperfeiçoar na área industrial. O objetivo é mostrar como funcionam na prática as profissões e as oportunidades oferecidas nesta área. Alguns dos temas de destaque da programação são design thinking, empoderamento feminino na mecânica automotiva, inovação na indústria 4.0, hidráulica industrial, logística internacional, lean manufacturing, prototipagem e arduíno, robótica industrial e simulação de soldagem. Os interessados devem se inscrever neste link, onde também é possível conferir a programação em todas as cidades.
Thu, 21 Nov 2019 18:39:04 -0000
Tartaruga é encontrada morta em Ilhéus, no sul da Bahia
Animal é da espécie verde e foi achado na quarta-feira (20), na Praia dos Milionários. Uma tartaruga da espécie verde foi encontrada morta na Praia dos Milionários, em Ilhéus, sul da Bahia, na tarde de quarta-feira (20). De acordo com o Projeto (A)mar, que monitora os animais na região, a tartaruga era uma semi-adulta morreu por afogamento. A suspeita é que ela pode ter se machucado com algum objeto de pesca, já que apresentava marcas de rede. Com esse caso, o número de tartarugas mortas encontradas entre Maraú e Canavieiras, no sul do estado, neste ano, sobe para 138. O número ultrapassou o registrado em todo o ano passado, quando houve 133 casos na região. Cerca de 70% das mortes foram em Ilhéus, sendo a maioria causada por redes de pesca. Veja mais notícias do estado no G1 Bahia.
Thu, 21 Nov 2019 18:38:53 -0000
Baixada Santista recebe reforço na segurança na Operação Verão 2020

Mais de 1,8 mil agentes devem vir ao litoral para reforçar segurança em pontos estratégicos. Cidades da Baixada Santista anunciam reforço para Polícia Militar na temporada de verão. Divulgação/Prefeitura de Santos A Baixada Santista, no litoral de São Paulo, receberá o reforço de cerca de 1,8 mil policiais militares para a Operação Verão 2019/2020, que começa em dezembro e segue até fevereiro. O reforço é uma ação do Governo do Estado. Policiais devem chegar às cidades a partir do dia 20 de dezembro. Na Operação Verão, os agentes vão trabalhar de motocicletas, bicicletas e a pé, para o menor tempo-resposta possível em ocorrências. Guardas civis municipais também devem usar motocicletas e quadriciclos. Além da Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros, Polícia Militar Ambiental, Polícia Militar Rodoviária e Guarda Civil também devem receber reforços. Em Guarujá, serão 400 policiais para o reforço, com chegada prevista para 23 de dezembro. Os agentes serão destacados para locais de grande fluxo, (praias, pontos turísticos) e nas áreas de interesse estratégico da Secretaria de Segurança Pública. De acordo com a prefeitura, o reforço da segurança nas praias foi antecipado, para evitar os casos de afogamento que estão em alta na região. Foram formados 50 guarda-vidas temporários, que já estão trabalhando desde o dia 9 deste mês. Outros 50 guardas-vidas temporários devem chegar para reforço. Cidades da Baixada Santista também receberão reforço de guarda-vidas para evitar afogamentos. Divulgação/Prefeitura de Santos Em Santos, na operação que segue até dia 25 de fevereiro, a cidade contará com o reforço de 281 policiais militares e civis, concentrados na orla da praia e nos pontos turísticos. Em São Vicente, a operação vai de 23 de dezembro até 25 de fevereiro, com reforço de 250 policiais, além de equipes da Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho Policial Militar (DEJEM). Para a atuação dos agentes, a prefeitura informou que 18 tendas serão montadas em pontos estratégicos da cidade para monitoramento. A cidade de Itanhaém contará com o reforço de 141 policiais, na operação que vai de de 23 de dezembro até 6 de fevereiro. Em Peruíbe, a operação contará com o reforço de 117 policiais militares, a partir de 20 de dezembro. A prefeitura também informou que a Guarda Civil Municipal estará reforçada com maior número de rondas e uma Base Móvel será montada no bairro Guaraú, com Guarda Municipal, PM e fiscais do Código de Posturas. Ainda em Peruíbe, operações 'Pertubação Zero' serão realizadas aos finais de semana para coibir abusos, algazarras e outras ocorrências, de acordo com a prefeitura. Mongaguá espera 126 policiais, com operação focada na Plataforma de Pesca, que já conta com uma base fixa da GCM. Com ênfase na orla das praias, Bertioga recebe a operação com o reforço de 160 PMs, além de reforço nas atividades dos Bombeiros e Polícia Rodoviária. O Governo do Estado enviará, ainda, 58 guardas-vidas para integrar o quadro de segurança nas praias. A Prefeitura de Praia Grande informou, por meio de nota, que ainda não há informações sobre a quantidade exata de agentes que reforçarão o policiamento na cidade, mas a expectativa é que seja em torno de 400 homens. Cubatão ainda está em tratativas com a PM para definição dos detalhes da operação.
Thu, 21 Nov 2019 18:37:59 -0000
Imagens do dia 21 de novembro de 2019

Casal de turistas posa para selfie diante do portal da cidade de Petra, ao sul de Amã, na Jordânia Muhammad Hamed/Reuters Criança ferida em bombardeio do regime sírio na noite de quarta-feira (20) é erguida em acampamento na vila de Qah, na província de Idlib, na Síria, perto da fronteira com a Turquia. O ataque aéreo tirou a vida de no mínimo 15 civis, segundo o Observatório de Direitos Humanos da Síria Omar Haj Kadour/AFP O presidente Jair Bolsonaro participa de evento de lançamento de seu novo partido, Aliança pelo Brasil, em Brasília Ueslei Marcelino/Reuters Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, um deles com o rosto pintado com as cores da bandeira brasileira, gritam em apoio ao presidente diante do hotel do evento de lançamento do novo partido Ueslei Marcelino/Reuters Manifestantes fazem gesto de protesto em ato pedindo melhores condições de trabalho para policiais em Lisboa, Portugal Rafael Marchante/Reuters
Thu, 21 Nov 2019 18:37:39 -0000
Oncologia do São Vicente em Jundiaí supera índices do Ministério da Saúde

Trabalho focado em metas e na maior qualidade de atendimento dos pacientes garante tratamento digno e adequado aos pacientes oncológicos da região. "Entre o diagnóstico e a minha cirurgia foram 14 dias, achei rápido e isso salvou minha vida”, diz Renato Dias de Almeida, 44 anos, após passar por uma cirurgia de 9 horas para retirada de um tumor no reto. Atualmente ele faz sessões de quimioterapia. Por resultados como este é que o Hospital de Caridade São Vicente de Paulo (HSV) é considerado referência para o atendimento oncológico na região de Jundiaí, – com índices de atendimento que superam em até 500% os índices preconizados para o serviço pelo Ministério da Saúde – e tem desenvolvido diversas ações para otimização e assistência de qualidade aos pacientes. Promover ações para assegurar a excelência nos serviços de saúde é o foco da gestão Luiz Fernando Machado. Ainda no primeiro ano de mandato, em 2017, uma série de medidas foram desempenhadas em favor do HSV, único equipamento de alta complexidade para uma população de aproximadamente 1 milhão de habitantes. “A Saúde é um dos pilares da gestão e o Hospital São Vicente é referência no atendimento público não só de Jundiaí, como da região. A unidade hospitalar foi recebida à beira de fechar as portas e, conseguimos, com organização e austeridade nas contas, equalizar as dívidas, organizar o atendimento e ampliar o serviço à população com qualidade, humanização e eficiência”, detalha o prefeito, lembrando que ao longo dos últimos 30 meses o prédio já recebeu mais de 100 melhorias estruturais e, atualmente, está com obras em andamento para revitalização de 72 quartos a partir do projeto ‘Acolha um Quarto, Conforte Vidas’. O HSV é uma das 82 instituições que integram a Unidade do Estado de São Paulo de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (UNACON), cujos parâmetros previstos na habilitação para atendimento SUS devem ser 100% superados até dezembro. “A habilitação para tratamento clínico aos pacientes oncológicos, incluindo quimioterapia e radioterapia, é de 48.300 procedimentos anuais. O São Vicente deve chegar ao final de 2019 a 77.546 procedimentos, índice 161% do que é preconizado”, explica o superintendente do HSV, Matheus Gomes. Outro ponto a ser destacado é o índice de consultas especializadas em oncologia que o HSV realiza. “O estipulado pela UNACON são 500 atendimentos anuais e nós vamos fechar com 2.564, conforme nossas projeções, o que significa um desempenho 513% acima do indicado”, afirma o superintendente. O oncologista e diretor técnico do HSV, Izandro Regis de Brito, acrescenta que os números de cirurgias também caminham para a superação. “No início de 2017 realizávamos 40 cirurgias oncológicas ao mês. Hoje realizamos 56, o que representa um aumento da ordem de 39%”, demonstra o especialista. É válido ressaltar que hoje não há fila de espera para a realização de cirurgias oncológicas. Para obter desempenho superior ao estipulado pelo Ministério da Saúde, o HSV investe em várias frentes. “Implantamos o Ambulatório de Triagem Oncológica, ampliamos o horário de atendimento da radioterapia no ano de 2018 e, em maio deste ano, inauguramos as novas instalações da quimioterapia. Um espaço 50% maior, climatizado e confortável, próximo de nossa recepção central o que garante o menor risco de infecção hospitalar a estas pessoas. O bem-estar dos pacientes é essencial para os resultados em sua recuperação. Além disso, só neste setor, tivemos aumento de 39% no número de atendimentos em comparação ao início de nossa gestão. Eram 355 pacientes mensais e hoje são 493 pacientes. Sendo que nos meses de julho, agosto e setembro deste ano, os índices chegaram a 503, 520 e 534 respectivamente”, elenca o superintendente. A quimioterapia e a radioterapia funcionam em locais independentes, o que contribui para que os pacientes se sintam mais confortáveis, uma vez que estão em fases diferentes do tratamento. “Atualmente a radioterapia atende cerca de 90 pacientes por dia, ampliamos nossa operação em duas horas no ano passado e no começo deste mês aumentamos mais duas horas, passando a realizar o procedimento das 5h à meia-noite”, explica o físico médico Flávio Vermiglio. O tempo preconizado pelo Ministério da Saúde (MS) de 60 dias entre diagnóstico e tratamento já é atendido pelo serviço. A ampliação do horário pelo HSV tem o objetivo de melhorar e reduzir ao máximo este período. “A expectativa é de que até o primeiro trimestre do próximo ano seja possível ter uma redução substancial no tempo de espera, permitindo que o tratamento comece com maior agilidade após o diagnóstico e indicação do tratamento”, afirma o físico. Além da eficiência da equipe, planejamento e bom uso dos recursos do hospital fazem parte do atendimento. “É preciso contar com pessoas engajadas e apaixonadas pelo trabalho diário num ambiente hospitalar. Existem mais de 100 tipos diferentes de câncer, com inúmeros tratamentos e cada organismo responde de forma particular, por isso, cada paciente deve ser tratado de forma ímpar”, destaca Dr. Izandro. Triagem Em 2018 o HSV implantou o Ambulatório de Triagem Oncológica, no qual a documentação necessária é checada, o paciente é avaliado antes do início do tratamento e direcionado para o local correto dos procedimentos. “Tal medida otimizou o tempo e recursos para o diagnóstico e tratamento do câncer, tornando Jundiaí uma referência oncológica de excelência, frente aos usuários do SUS no Brasil”, afirma o médico oncologista. Para garantir este atendimento humanizado, os profissionais precisam estar bem preparados. “Eu procuro ser ainda mais humana, porque não adianta só o conhecimento técnico. É preciso saber conversar, dar carinho e estimular coisas positivas para os pacientes”, afirma a técnica de enfermagem Lucimeire Aparecida dos Santos, 44 anos. A enfermeira Josimara de Souza, 43 anos, completa. “É importante olho no olho, entender as dúvidas do paciente e sempre orientar sobre o tratamento e as reações”, enumera. A técnica de enfermagem Lucimeire transmite otimismo ao Renato, paciente da quimioterapia Prefeitura de Jundiaí/Divulgação Os pacientes agradecem. “Me senti muito bem acolhida e respeitada, todos me receberam muito bem, desde a recepção até a equipe da oncologia”, elogia a paciente Marilene dos Anjos Melo Santos, 57 anos, que faz a oitava sessão de quimioterapia após o diagnóstico de câncer de mama. A paciente Marilene recebe o acolhimento da enfermeira Josimara Prefeitura de Jundiaí/Divulgação De acordo com o gestor da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS) Tiago Texera, o HSV é um equipamento de destaque na rede pública estadual. “O Hospital São Vicente tem 95% de resolutividade em seus atendimentos, um índice que o coloca em posição diferenciada dos demais serviços públicos. O atendimento oncológico, que é referência para toda a região de Saúde do entorno, é de excelência, compondo o quadro do equipamento estruturante”, analisa.
Thu, 21 Nov 2019 18:36:39 -0000
Semana da Juventude debate consciência negra e tem abertura no Teatro Amazonas

Programação deste ano conta com mostras de músicas, debates, oficinas, shows e mais. Evento tem início nesta quarta-feira (18) Divulgação No mês em que se celebra o Dia da Consciência Negra, a Prefeitura de Manaus realiza a 3ª edição da Semana da Juventude para debater políticas e questões raciais. O evento teve início nesta quarta-feira (20), a partir das 20h, com show de abertura no Teatro Amazonas, Centro, e segue até domingo (24). A programação deste ano contará com mostras de músicas, debates, oficinas, shows, mostra de cinema e campeonato de skate, no Complexo Turístico Ponta Negra, Zona Oeste. Pelo terceiro ano consecutivo, a Semana da Juventude será realizada dentro da programação do “Festival Até o Tucupi”, em parceria entre Coletivo Difusão e Conselho Municipal de Juventude (CMJ), órgão atrelado à Semjel.
Thu, 21 Nov 2019 18:36:13 -0000
Pacientes do Hospital Municipal de Mogi afirmam que nova gestão prejudicou atendimento e fazem reclamações

Segundo os pacientes, atendimento e agendamento de consultas foram prejudicados. Nova gestão assumiu em junho deste ano. Pacientes dizem estar insatisfeitos com nova gestão do Hospital Municipal de Brás Cubas A mudança na gestão do Hospital Municipal De Brás Cubas, em Mogi das Cruzes, levou à insatisfação de pacientes em relação ao atendimento da unidade. Dificuldades em agendar consultas e retorno com especialistas se tornaram problemas frequentes. Quem antes conseguia ser atendido com rapidez, agora está preocupado. A Fundação ABC, responsável pela gestão do hospital, informou que o trabalho é baseado em indicadores, buscando a humanização e a afirmou que houve melhoria nos indicadores. Já a Prefeitura disse que acompanha a gestão e busca soluções para todas as demandas (veja detalhes abaixo). O representante comercial Jaime Salturato faz acompanhamento médico no Hospital Municipal há dois anos. Ele diz que neste período o atendimento mudou. ”Os exames eram feitos todos aqui. Eu comecei a passar com a clínica geral. Ela pediu os exames, fizemos os exames aqui no hospital e eu retornava. Nós mesmos agendávamos e ela encaminhava para o especialista”. Segundo Salturato, desde que a nova organização social assumiu a gestão do espaço, em junho deste ano, o atendimento para a população piorou. “Tiraram todos os médicos, clínico geral, especialistas. Na realidade, nós ficamos sem nada, infelizmente. Não é uma reclamação só minha, é uma reclamação da cidade. Não podemos deixar uma estrutura dessas se preocupar só com cirurgias”. Antes, quem cuidava do hospital era a Pró-Saúde. O contrato que a entidade tinha com a Prefeitura chegou ao fim e, com isso, a Pró-Saúde parou de prestar os serviços. Muitas pessoas que trabalhavam para a entidade ainda aguardam uma decisão da justiça em relação ao pagamento de salários e benefícios atrasados. Pacientes do Hospital Municipal de Mogi afirmam que nova gestão prejudicou o atendimento e fazem reclamações Reprodução/TV Diário Outra paciente que também reclama dessa troca e de como está o atendimento hoje é a dona de casa Kelly Cristina da Silva. “Agora está mais demorado, porque antes tinha sempre umas pessoas orientando a gente. Pegava a senha, não demorava 10 Minutos e já estava sendo atendido. Já entrava na sala do médico, já tinha pessoa na porta para orientar. Com aquela ficha que passou usava para remarcar uma consulta. Agora não. Está demorado”. A dona de casa chegou ao hospital às 7h30 para uma consulta com a mãe e saiu às 10h. Ela lamenta que o atendimento esteja demorado e afirma que a lotação também virou um problema. “Está lotado até demais, também, que não era assim. Tem que dar uma melhorada. O atendimento, tanto no retorno, porque eu também passo no cardiologista e está difícil. Os meus médicos, que fiz a cirurgia, dizem que não podem atender porque agora eles só fazem cirurgias e agente fica como?” Ela conta que tentou agendar por telefone, por meio do 160, uma consulta com um cardiologista pra mãe, como não conseguiu, foi até o hospital. Saiu com uma resposta positiva, mas agora está lutando para agendar o atendimento para o pai. “Ele tem que fazer uma cirurgia da hérnia. O doutor marcou essa cirurgia, mas tem que fazer os exames. Exame de sangue, raio-x. Vim pegar o raio-x agora. O exame de sangue ligaram para minha casa para remarcar, fazer tudo de novo o sangue. Acho que alguma coisa deu errado”. Pacientes também reclamam de filas e lotação no Hospital de Brás Cubas, em Mogi das Cruzes Reprodução/TV Diário No entanto, durante a espera, a saúde do pai da dona de casa se agravou e ela precisou contar com a insistência para conseguir agendar os exames que ele espera. “Nesse tempo, meu pai passou mal. Perdeu um lado do pulmão, foi pro SUS também. Está lá de cama, precisando de exame. Quando cheguei aqui, falei com a mocinha e ela marcou para amanhã”, relata. A Prefeitura de Mogi das Cruzes explicou que elaborou um novo plano de trabalho que divide os atendimentos na cidade. Casos mais simples como consultas, por exemplo, serão feitos nas unidades de saúde. Os mais complexos, no hospital. Agendamento Para agendar o atendimento, o morador precisa ligar para o 160, como fez Marilda Lopes Ribeiro Pereira. Ela tem pressão alta e precisa passar com um cardiologista. “Aqui é Marilda, quero marcar um retorno para passar no Hospital de Brás Cubas com o cardiologista”, diz ela ao telefone. “Cardiologista não marca por aqui, senhora”, responde o atendente. “Só lá [no Hospital] que marca retorno. Aqui a gente fazia de agendamento clínico e ginecologia. Parou de fazer”. Ela conta que há quatro meses tem tentado marcar o retorno. O atendente explica que ela deve se consultar com um clínico geral e pedir que o médico a encaminhe para um especialista. A equipe do Diário TV também tentou ligar direto para o Hospital de Brás Cubas, mas uma gravação afirma que todos os operadores estão ocupados. “É o tempo todo assim. Eu fico aguardando a ligação até quatro, cinco minutos e não adianta nada. Eles não atendem”, conclui. O problema é que Marilda precisa de remédio, que até tem na farmácia da cidade. No entanto, para retirar é preciso ter uma receita atualizada. Como não tem, ela gasta R$ 20 por mês com os medicamentos que são de graça na rede pública. “Depois que mudou a gestão lá, que foi todo mundo embora, que mudou tudo, ficou uma porcaria. Acho que os políticos deveriam estar olhando para isso, por nós. Eu acho uma ‘sem vergonhice’. Agora eu fico aí correndo atrás de comprar remédio porque não consigo passar com o cardiologista”. O que dizem os responsáveis A Fundação do ABC, atual gestora do Hospital Municipal de Brás Cubas, informou, por meio de nota, que desde que assumiu a unidade em 26 de junho de 2019 vem implantando sua filosofia de trabalho baseada em processos de gestão guiados por indicadores e, principalmente, humanização da assistência. A nota ainda informa que, apesar do pouco tempo à frente da unidade, os resultados positivos do trabalho já podem ser mensurados. As internações, por exemplo, tiveram aumento de quase 20%. Além disso, a clínica cirúrgica teve ampliação na comparação entre os meses citados, de 85%. No campo cirúrgico, o crescimento registrado é de 123,8%. Na área de urgência e emergência, em setembro de 2018, o pronto atendimento do hospital registrou 6.584 atendimentos. No mesmo mês de 2019 foram mais de 6,7 mil. E o texto termina dizendo que para o segundo ano do contrato de gestão, a Prefeitura de Mogi Das Cruzes e a fundação do abc vão dar início aos trabalhos na especialidade de oftalmologia. O Diário TV pediu uma resposta específica sobre os casos dos pacientes Jaime, Kelly e Marilda, mas ainda não teve retorno. Já a Prefeitura informou que, por meio da Coordenadoria de Gerência Hospitalar, acompanha diretamente o trabalho realizado no Hospital Municipal desde a sua implantação, respondendo, apurando e buscando soluções para todas as demandas. Afirma também que o plano de trabalho citado não foi elaborado pela administração municipal e que se trata do princípio do Sistema Único de Saúde (SUS) que divide as demandas de saúde de acordo com cada esfera governamental. Ao município, segundo a Prefeitura, cabe a oferta de atendimentos de rede básica, ou seja, clínica médica, ginecologia e pediatria, enquanto o Governo do Estado é responsável pelas especialidades médicas, como cardiologia, vascular e urologia. De acordo com a nota, o telefone 160 do SIS, para onde a paciente Marilda ligou durante a reportagem, é destinado exclusivamente para agendamento de consultas de rede básica. São esses médicos os responsáveis pelos encaminhamentos para as consultas de especialidades, conforme a necessidade do paciente, com fluxo de agendamento específico. Sobre o que falou o paciente Jaime, a Secretaria Municipal de Saúde informou que vários avanços já estão sendo alcançados em diferentes áreas, inclusive cirurgias de baixa e média complexidade, que é uma das principais vocações do hospital municipal. Quanto à reclamação da paciente Kelly, o texto diz que ela vai ser apurada diretamente junto ao hospital municipal. A nota termina dizendo que, de maneira geral, pacientes com pressão alta podem ser acompanhados com eficácia pela clínica médica, em qualquer unidade de saúde.
Thu, 21 Nov 2019 18:36:11 -0000

This page was created in: 0.02 seconds

Copyright 2019 Oscar WiFi

Questo sito consente l’invio di cookie tecnici, di profilazione di 'terze parti' e utilizza cookie di analisi di terze parti per compilare statistiche aggregate ed anonime. Per avere indicazioni sull’uso dei cookie e la possibilità di scegliere quali specifici cookie autorizzare acceda all’Informativa estesa. Proseguendo nella navigazione mediante accesso ad altra area del sito o scroll della pagina o selezione di un elemento dello stesso (immagini o link) oppure selezionando ACCETTA I COOKIE acconsente l’utilizzo dei cookie presenti. Ulteriori informazioni